VOCÊ É INTELIGENTE

Em 1916, Lewis Terman, para determinar o famoso QI (Quociente de Inteligência) de uma pessoa, criou um teste que contém perguntas que ocorrem desde problemas matemáticos até itens de vocabulário. Os estudos de QI foram aprimorados sem transcorrer o tempo, sendo muito usados ​​e em algumas situações com eficiência.

       Nesse sentido, há algumas décadas que era considerada uma pessoa inteligente e que era boa nas quatro operações matemáticas e, com rapidez, se expressa muito segundo a norma culta da linguagem. Se você tiver boa memória e dominar outro idioma, sairá ainda mais na frente dos outros sem a necessidade de inteligência.

Em 1983, entretanto, o psicólogo Howard Gardner apresentou uma teoria relevante em um livro que trata das inteligências múltiplas. Segundo seus estudos, uma pessoa pode não conseguir destacar muito a lógica e a matemática ou a linguagem, mas pode ser excepcional, por exemplo, em uma habilidade visual-espacial como Michelangelo.

     CAPACIDADE

Talvez tivessem uma capacidade extraordinária corporal-cinética como o Pelé; ou com uma agilidade musical como Johann Sebastian Bach; ou com um desenvolvimento interpessoal acima da média, por exemplo, de Madre Tereza e, assim, por diante.

Em 1997, uma professora da universidade inglesa de Oxford, Danah Zohar, criou uma expressão “inteligência espiritual”, em seu livro “ReWiring the Corporate Brain”. Zohar é autora de outros oito livros, entre eles, “O Ser Quântico” e “A Sociedade Quântica”, já traduzidos para o português.

A evolução das pesquisas sobre Inteligência humana nos leva a algumas considerações libertadoras. Uma delas é a maior maioria esmagadora de nós, não é gerada em nada, todavia, cada uma tem uma percepção ou habilidade mais acentuada, em determinada área específica, que é a média geral das pessoas.

A grande sacada é descobrir quem somos bons ou quem consegue fazer melhor, num tempo que está mais próximo para focar nessa área. Ainda que nossa idade permita pouco tempo de investimento nesse aspecto, podemos ajudar nossos netos, sobrinhos, filhos, crianças, adolescentes e jovens a se auto-superarem aqueles que sinalizam que são espertos.

Ao mesmo tempo, não se sinta diminuído olhando suas preferências e não use seus recursos melhores apenas para ganhar dinheiro e prestígio, viva de modo relevante, de uma forma que você faça a diferença no mundo, talvez seja a maior demonstração de sabedoria que existe .

Robson Brito
Pastor, Conferencista, Palestrante, Articulista e Escritor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest