POR QUE RETIRAR A VESÍCULA E NÃO SOMENTE AS PEDRAS?

A vesícula é um órgão extremamente importante no processo de digestão dos alimentos e armazenamento da bile produzida pelo fígado. Apesar de suas funções, há casos que ela precisa ser extraída, principalmente quando é acometida pela  colelitíase, a popular pedra na vesícula.

Mas a dúvida é: se o problema são as pedras por que não retirá-las ao invés de aniquilar com a vesícula definitivamente?  É o caso, por exemplo, de quem sofre de cálculo renal. Diante do problema, os tratamentos visam a eliminar as pedras e não os rins.

A questão da colelitíase é que retirar as pedras não resolveria o problema, uma vez que é a vesícula que está doente e o tratamento efetivo é  retirá-la por meio de procedimento cirúrgico.  Em outras palavras, mesmo que as pedras fossem eliminadas, a vesícula continuaria doente.

Existe ainda um outro aspecto que precisa ser levado em consideração, retirar apenas as pedras implicaria no risco de elas se fragmentarem  e invadir a via biliar. Aí, as consequências poderiam ser bem mais sérias  e de difícil solução.

Muitos  pacientes  convivem com as pedras na vesícula sem apresentarem sintomas. Isso não significa que eles estão  seguros.  Independente de sintomas,  pedra  na vesícula é considerada  uma bomba relógio que a qualquer momento pode explodir.

As pedras podem gerar inflamação aguda na vesícula, pancreatite aguda, com probabilidades de complicações graves, inclusive colocando em risco a vida do paciente.  Por isso, não é prudente esperar os sintomas para realizar a cirurgia de retirada da vesícula.

Orlando Ribeiro Prado Filho
Cirurgião do Aparelho Digestivo
CRM 11477/ RQE 9.705

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest