HÉRNIA DE DISCO CERVICAL E LOMBAR

Uma hérnia de disco é uma queixa comum em consultório de especialista em dor e é diagnosticada por protusão, traumatismo ou extrusão discal de hérnia, compressão de nervo, sua perda de coluna cervical e lombar (mais comum), ou torácica (menos comum), onde uma lesão aguda nesses nervos, leva à demonstração local de prostaglandinas e outros elementos pró-inflamatórios, resultando em um estado de dor intensa Os esteróides anti-inflamatórios, são conhecidos por inibir a produção de prostaglandinas, uma das responsáveis ​​pela dor e inflamação que ocorre na hérnia de disco cervical e lombar.

A dor na região cervical discal pode ocasionalmente irradiar-se para o membro superior (braço, antebraço e mão), correspondente ao lado da perna (direita ou esquerda) e região paraescapular (ao lado da escápula), acompanhando a força da força e formatação, possibilidade de piorar, intensidade, quando o paciente olha e fica mais à frente, para olhar para cima sempre, excluir outras causas como a possibilidade de lesões de estruturas de papéis, como manguito rotador, ou osteoartrite das articulações e quadros de dor muscular.

 TIPOS DE DOR LOMBAR

Já no lombar, envolva três tipos: a baixa, que é toda manifestação dolorosa localizada entre a última costela e a prega glútea; uma lombociatalgia que é irradiada da região lombar até um ,ou os dois membros inferiores e a dor ciática, uma uni ou bilateral irradiada da raiz das coxas, atravessando os joelhos e, na maioria das vezes, alcançando ou afastando o lado da heresia. Pode ser acompanhado ou não por alteração na sensibilidade (ou perda de força no membro afetado), devendo fazer um diagnóstico diferencial com a síndrome facetária (inflamação das articulações zigoapofisárias), sacrifício (inflamação da articulação sacroiliaca), espondilodiscito ( infecção do disco). O paciente também pode ter dor de cabeça ampliada, quando flecha ou tronco sobre o quadril, ou quando fica em pé e pode melhorar em repouso.

A causa estrutural da compressão de nervos espinhais lombares, como lesões de disco ou estenose foraminal, pode ou não ser identificada na investigação, sendo que anormalidades em imagens podem ser vistas em pacientes assintomáticos, ou seja, lesões de disco em exames de imagem como tomografia e ressonância magnética e não apresentar dor, fenômeno muito comum, que pode ocorrer em 50% da população. Devemos sempre lançar mão de exames por imagem, para complementar o diagnóstico.

TRATAMENTOS

A dor lombar baixa causada pela discoteca é iniciada normalmente, com um evento traumático, como levantar peso, sofrer brusca de modo que pode causar uma ou várias raízes nervosas espinhais.

Muitas vezes, tratamentos conservadores, com anti-inflamatórios não esteroidais, reabilitação e repouso, não produzem ou controlam o ajuste adequado dos sintomas dolorosos. Para esses casos, anti-inflamatórios esteroidais, mais comuns a metilprednisolona, ​​injetados no espaço peridural lombar ou cervical , por onde transitam os nervos que causam dor, ambos guiados por intensificador de imagem de imagem, promovem alívio imediato do dor, diminuem a inflamação dos nervos comprimidos e do disco intervertebral, com redução do consumo de analgésicos, manutenção de atividades laborais e alteração da necessidade de cirurgia em muitos casos.
Como em todas as síndromes dolorosas, a melhor maneira de tratar o paciente com dor é identificando-se corretamente a causa do dor, sem diagnóstico correto, não existe tratamento eficaz.

 

Orlando Colhado
CRM 11749 RQE 3036611-5
Médico especialista em dor pela Associação Brasileira de Medicina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest