FIBROMIALGIA: ENTENDA MAIS SOBRE ESSA DOENÇA SILENCIOSA

É bastante  comum hoje em dia os pacientes se queixarem de dores difusas pelo corpo. Se você sente dor, fadiga, cansaço, falta de disposição para as atividades do cotidiano, irritabilidade, alterações do sono, distúrbios de memória e concentração e já passou por vários médicos e realizou vários exames normais, é possível que suas queixas  sejam decorrentes da fibromialgia.

A fibromialgia é uma das doenças reumatológicas mais frequentes, cuja característica principal é a dor musculoesquelética difusa e crônica. É um  visto em pelo menos 10 a 15% dos pacientes que vão a um consultório de Reumatologia. De cada 10 pacientes com fibromialgia, sete a nove são mulheres. A idade de aparecimento do problema é geralmente entre os 30 e 60 anos. Porém, existem casos em idosos e também em crianças e adolescentes.

Essa doença  gera um desconforto enorme para o paciente e muitas vezes uma incompreensão de familiares e amigos (diante de muitas queixas, com exames normais), o que acaba intensificando seu sofrimento.

O QUE É  

Fibromialgia é uma síndrome dolorosa crônica cuja principal característica é a presença de dor difusa pelo corpo. É considerada uma doença silenciosa, pois não é detectada por nenhum exame laboratorial ou de imagem até o momento, o diagnóstico é clínico.

CAUSA

A etiopatogenia ainda não é totalmente conhecida, estudos mostram que o cérebro de quem tem fibromialgia interpreta os estímulos dolorosos de forma mais intensa, aumentando a sensação de dor. É uma resposta inadequada e desequilibrada do sistema nervoso central aos estímulos externos.

 SINTOMAS

Além do quadro de dor generalizada tanto nos músculos quanto próximo das articulações, os pacientes também se queixam de fadiga, cansaço extremo, sono não reparador (acorda com a sensação de cansaço), rigidez matinal, irritabilidade, parestesias (formigamentos de mãos e pés, sensação subjetiva de edema e distúrbios de concentração e memória.

DIAGNÓSTICO

O diagnóstico é baseado principalmente na presença de dor generalizada por um período de pelo menos três meses, é essencialmente clínico, ou seja, os exames laboratoriais e os de imagens não são necessários, pois não é detectado por exames.    Se o médico fizer uma boa entrevista clínica, aplicando questionários específicos, pode fazer o diagnóstico de fibromialgia na primeira consulta e descartar outros problemas.

Vale lembrar que a fibromialgia não deve ser considerada como diagnóstico de exclusão, mas é prudente investigar outros diagnósticos que podem causar sintomas semelhantes, tais como hipotireoidismo, deficiência de algumas vitaminas, anemia, dentre outros.

 TRATAMENTO

O tratamento exige cuidados multidisciplinares. Orientar o paciente sobre a doença, esclarecer as suas dúvidas e acolhê-lo são medidas fundamentais. A terapia medicamentosa adequada que atua na inibição das vias da dor e do seu reconhecimento, associada com atividades físicas regulares (de preferência exercícios aeróbicos), se mostrou eficaz para o controle da dor e da fadiga. Além disso, em alguns casos, pode ser associado tratamento psicológico.

DRA. LORENA BOSSONI MIOSSO MARCHIOTTI – CRM/PR:32273 RQE:25822
Médica reumatologista e docente do curso de Medicina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest