DR RESPONDE: DENTES RETIDOS

Prezado Dr. Liogi, olha só o que aconteceu comigo recentemente. Fui extrair um dente do siso e acabei passando por algo que não esperava.  Foi uma dificuldade muito grande. Pelo que entendi, a raiz do dente era muito grande e estava atravessada, ou algo parecido, segundo relatou o dentista. Bem, apesar do tempo que demorou, não foi possível retirar o dente inteiro, ficando pedaços na raiz.

Enfim, eu comecei a sentir dor pouco depois do procedimento e, agora, o profissional disse que tenho que passar por uma cirurgia para retirar essas partes que não saíram.  Já sou medrosa por natureza e depois disso fiquei ainda mais com receio. Gostaria, se possível, que o senhor me explicasse se isso é comum e as razões para esse resultado insatisfatório e traumático. Se puder, também, me esclarecer acerca de como é essa outra cirurgia, a qual o profissional disse que tenho que passar.

LORENA MARCHIATTO – ADVOGADA
Olá Lorena, obrigado pela pergunta!

Todas vez que falamos sobre dentes retidos, em especial a cirurgia dos terceiros molares ou dente do “siso”, precisamos ressaltar alguns pontos. A cirurgia de dentes retidos é considerada por muitos como uma cirurgia de especialidade, ou seja, recomenda-se que seja realizada por um especialista em Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Faciais.

Porém acredito que um dentista, bem treinado pode realizar sem problemas tal procedimento, o importante é o profissional conhecer os seus limites técnicos e nos casos mais complexos, encaminhar para um especialista.

A fase ideal para remoção dos terceiros molares é por volta de 18 a 24 anos, fase esta em que o terceiro molar ainda não terminou completamente a formação de suas raízes, tornando o procedimento mais simples e menos traumático. Depois desta idade, mesmo completamente formado, o dente continua a prolongar suas raízes que ficam cada vez mais longas e por vezes curvas, podendo ocorrer o que aconteceu com você. O índice complicações pós-operatórias triplica após os 25 anos de idade.

No seu caso especificamente, o fato de ter ficado parte da raiz não necessariamente significa a necessidade de remoção, sendo indicado somente se estiver causando algum problema local como infecção, dor, alteração nos dentes vizinhos ou outro processo patológico. Caso não tenha nada disto, pode ser somente controlado.

Existem situações nas quais se prevê um grande trauma durante a remoção de um dente retido que optamos pela técnica da coronectomia, que seria a remoção somente da coroa do dente, que é quem normalmente causa os principais problemas, mantendo as raízes.

Isto é indicado principalmente nos casos em que as raízes estiverem muito próximas ao nervo alveolar inferior que inerva os dentes e o lábio inferiores, e esta indicação seria para prevenir lesões neste nervo durante  a cirurgia que poderia causar um dormência no lábio inferior, algumas vezes de forma definitiva.

Se no seu caso tiver indicação de remoção das raízes por algum motivo como os que relatei anteriormente, infelizmente será uma cirurgia um pouco mais complicada do que a inicial, pois há necessidade de uma grande remoção de tecido ósseo para a remoção das raízes.

Acredito que valha a pena uma complementação de imagens com uma tomografia para auxiliar o profissional em seu planejamento.

Liogi Iwaki Filho
Cirurgião Bucomaxilofacial e Traumatologista
CRO – PR 7389

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest