DESENVOLVIMENTO INFANTIL

O desenvolvimento leva tempo. É um processo contínuo, não linear, com avanços e recuos. Uma fase é um simples momento passageiro, ao passo que o desenvolvimento, é como o tempo, prossegue sempre sua marcha. O fator individualidade é tão poderoso que não há duas crianças de determinada idade, que sejam exatamente iguais.

Contudo, é possível determinar as tendências médias etárias do desenvolvimento do comportamento, pois pensamos no comportamento em termos de idade e pensamos na idade em termos de comportamento. Qualquer idade que escolhamos, é possível esboçar um quadro que trace as características de comportamento típicas dessa idade. Ou seja, cada idade tem sua individualidade.

Vale destacar que, a criança de três anos não é simplesmente uma edição um pouco mais velha e mais capaz da de dois anos. A criança de quatro anos não é apenas uma criança de três anos mais competente. Cada idade não é meramente a soma das coisas que a criança dessa idade é capaz de fazer.

INDIVIDUALIDADE
Pelo contrário, cada criança tem sua própria individualidade, a sua própria tarefa de desenvolvimento, sua maneira de ser, e como já foi dito, o desenvolvimento não avança numa simples direção em linha reta, dado que a faceta imatura de qualquer comportamento ocorre repetidamente em alternância com a faceta mais amadurecida, é de se esperar que idades de desequilíbrio se alternem com idades de equilíbrio.

Dessa forma, é primordial no desenvolvimento, diferenciar o que é típico, esperado e o que é particular. Por exemplo: andar é típico, andar aos 12 meses é esperado, e particular é o que é específico de determinada criança, como andar aos 9 meses.

É nos primeiros anos de vida que a criança praticamente adquire os potenciais motor, cognitivo, afetivo e social, os quais geram consequências fundamentais sobre sua vida futura, uma vez que está acontecendo o desenvolvimento emocional e a construção da personalidade.

Portanto, é preciso proporcionar à criança um ambiente saudável para o pleno desenvolvimento daquelas potencialidades, caso contrário pode ocorrer um “fracasso”, gerando danos no desenvolvimento. Isto pode ser evidenciado num sintoma, que é um pedido de ajuda, podendo se expressar das mais variadas formas, encontrando lugar de expressão no brincar. Então, é recomendado a estimulação da capacidade de brincar da criança.

ANA SUELI LUCHETTI