CUIDADO COM O CERATOCONE

A córnea faz parte da porção anterior do olho humano, e é uma das estruturas oculares com maior poder refrativo, ou seja, com maior poder na composição/formação da visão. Trata-se de uma estrutura composta por colágeno e outras substâncias que quando em equilíbrio conferem à córnea sua qualidade de ser totalmente transparente, avascular (sem vasos sanguineos, de forma asférica (como o vidro de um relógio), proporcionando ao indivíduo uma visão clara e sem distorções.

Porém, quando esse tecido não está em equilíbrio, podem ocorrer inúmeras alterações que provocam baixa oxigenação e baixa de visão, por alterações de filme lacrimal ou agressões externas, úlceras, infecções, degenerações e distrofias. Tais alterações irão causar ao paciente queda de acuidade visual, com embaçamento da visão.

Com os avanços da tecnologia e o aprimoramento dos conhecimentos médicos hoje  é possível se fazer diagnósticos dessas alterações de forma mais rápida e precisa, e em alguns casos até mesmo precocemente, prevenindo as perdas visuais.

Uma das doenças que atingem a córnea e afetam em média de 50 a 230 indivíduos/100.000 habitantes é o ceratocone. Trata-se de uma ectasia, uma doença do tecido da córnea que não tem causa inflamatória, que atinge os dois olhos, e ocorre de forma progressiva (piora com os anos), podendo se manifestar com intensidades diferentes entre os olhos. O ceratocone altera a estrutura das camadas corneanas, provocando um aumento de sua curvatura e afinamento progressivo, conferindo um aspecto de  cone à córnea, gerando baixa de acuidade visual e borramento visual.

CAUSAS

Sua causa hoje está bem estabelecida, estando associada entre 6 a 8% com história familiar  positiva, porém não de aspecto exclusivamente genético,  apresenta também piora e a progressão pela ação  dos meios externos como coçar os olhos, em indivíduos atópicos, ou seja, alérgicos (rinite e/ou alergias de pele). Também está associada a algumas doenças sistêmicas, ao uso incorreto de lente de contato e algumas doenças do colágeno. O ato de coçar os olhos é o principal fator causal e progressor mais grave e comum. Por isso,  deve ser tratado com medicações indicadas pelo médico para evitar que o paciente siga coçando os olhos.

Por atingir indivíduos na faixa etária média de 10 a 35 anos de idade, e ter sua piora nessa idade,  é de extrema importância que toda criança, adolescente e adulto jovem passem frequentemente em consulta com seu médico oftalmologista para que a doença possa ser diagnosticada o mais cedo possível. Para isso, é usado o exame clínico detalhado e exames complementares sempre que se fizerem necessários. O intuito também é reabilitar esse paciente visualmente, já que é nessa faixa etária que a população está em formação escolar e profissional.

Hoje a tecnologia nos proporciona diagnosticar o ceratocone cada vez mais precocemente. Dispomos de exames complementares do tipo Topografia de córnea e Paquimetria, que fazem mapa de curvatura anterior corneana e  medida da espessura corneana, respectivamente. Mais atuais e detalhadas são as Tomografias de Segmento Anterior, que proporcionam múltiplos cortes do tecido corneano e medidas altamente precisas de suas curvaturas e espessura, mapeamento desde a camada mais posterior da córnea, até a anterior, oferecendo dados para acompanhar a progressão da doença e auxiliar nas decisões médicas de tratamento.

GRAUS

O ceratocone apresenta-se em 4 graus nas classificações mais atuais, e o tratamento prioriza primeiramente reabilitar a visão do paciente, ou seja, clinicamente podemos utilizar de óculos, lente de contato rígida, lente escleral, de acordo com suas indicações. Com o acompanhamento periódico do paciente, é avaliada a progressão ou não do ceratocone, nos casos onde é confirmada a progressão. Com o aumento da curvatura e afinamento do tecido é possível lançar mão de procedimento cirúrgico do tipo Crosslink Corneano, que tem a finalidade de paralisar/estacionar a doença.

Ainda em opções cirúrgicas dispomos dos Implantes de Anéis Intraestromais, ou como é mais conhecido Implante de Anel de Ferrara, que tem por finalidade regularizar a superfície ocular e proporcionar ganho na qualidade visual. E, por fim, em casos avançados em que os demais tratamentos citados anteriormente não são mais possíveis de serem realizados, temos os Transplantes de Córnea, atualmente sendo cada vez menos indicados, pois conseguimos precocemente diagnosticar e tratar os pacientes, evitando que cheguem nos estágios avançados da doença.

Ceratocone é uma patologia grave por sua característica progressiva e por atingir a população em idade de formação e escolaridade, porém é uma doença que tem uma gama de tratamentos que podem ser utilizados, desde que o paciente e a família façam continuamente acompanhamento com um médico oftalmologista. Logo, não coce os olhos, procure um médico oftalmologista e mantenha uma rotina de check up ocular com seu médico desde a infância e para toda a vida. Cuide da saúde dos seus olhos!

Médica Kerla Santos CRM-PR 30327

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest