ACNE NA INFÂNCIA: QUANDO SE PREOCUPAR?

Os cuidados diários com a pele são recomendados pelos dermatologistas. É algo importante que pode ajudar a evitar o problema e ajudar na cicatrização das espinhas que surgem.

 

Acne nem sempre é sinônimo de adolescência. Um estudo publicado pelo jornal Pediatrics revela um novo cenário deste problema dermatológico: cada vez mais crianças menores de 12 anos estão apresentando espinhas ou cravos.

As causas são em geral as mesmas dos adolescentes: predisposição genética, alterações hormonais, períodos de estresse emocional, exposição exagerada ao sol, uso de medicamentos (como corticoides), aplicação de hidratantes ou protetores solares inadequados que bloqueiam os poros e impedem a pele de “respirar”.

Além desses fatores, são apontados ainda como causas desses problemas, o consumo excessivo de alimentos com alto índice glicêmico (frituras, doces,…) e processados (o emprego de aditivos químicos em alimentos industrializados também vem contribuindo para o aumento do número de casos).

O aparecimento da acne nas crianças entre 7 e 12 anos de vida está relacionada mais com o desenvolvimento puberal do que com a idade cronológica,  pois reflete o despertar das glândulas adrenais que usualmente ocorre entre 6 e 7 anos nas meninas e 7 e 8 anos nos meninos.

​Uma boa parte dos casos de acne infantil se deve à puberdade precoce e, portanto ​deve ser considerada um sinal de alerta para a possibilidade de disfunção hormonal, em geral as ​doenças associadas ao hiperandrogenismo, como a hiperplasia congênita da supra-renal e a síndrome do ovário policísticos, entre outras. ​

Então, sempre que notar cravos, espinhas, odor mais forte no suor (axilas, pés,…) é importante à avaliação especializada, já que  podem existir alterações hormonais que precisam ser tratadas para não comprometer o desenvolvimento normal da criança

O tratamento precoce da acne é importante para evitar a piora do problema e o surgimento de marcas na pele da criança. Não podemos esquecer também o impacto na vida social do seu filho. Isso porque algumas crianças ficam envergonhadas ou tornam-se alvo de comentários dos colegas por conta da acne, podendo levar a depressão e até mesmo ideação suicida.

ALGUNS CUIDADOS BÁSICOS DIÁRIOS:

Não espremer as espinhas: isso só́ aumenta a contaminação da pele e pode causar mais ainda cravos e espinhas;

Tome  banho logo após os exercícios: o suor colabora para a proliferação das bactérias. O ideal é usar sabonetes adequados para peles oleosas e acneicas;

Evite usar produtos oleosos no rosto: hidratantes e protetores solares oleosos só pioram o acúmulo de sebo.

Cuidado com o que você̂ come: alimentos com alto índice glicêmico podem piorar a oleosidade da pele.

DRA. GINA BRESSAN SCHIAVON