A VANTAGEM DE SER AMENO

Temos um gosto extremado. Se uma narrativa nos é contada sem um clímax, não a memorizamos.

Se um filme não tiver momentos de tensão, vira monotonia. Somos encantados pelas histórias de dificuldade e superação, tanto quanto as falas com paixão.

E é grande a tentação de sermos quentes, nunca mornos. Há os que assim se comportam. Mas os demais apenas ocultam, o que passa em seu íntimo.

Nas revistas e sites, as imagens tendem a ênfase. Fotos de pessoas urrando, vencendo e bradando, fazem sucesso. E ao mesmo tempo ficamos curiosos por imagens de alguém em uma postura de ioga ou profunda e serena meditação.

Nosso instinto básico é de sobrevivência.

Estamos no subconsciente sempre a ensaiar planos de fuga e luta contra situações reais ou imaginadas.

Assim, tudo que lembra este desafio de sobreviver como: escapar, driblar, lutar e vencer, nos prende a atenção.

BUSCAS
Ao mesmo tempo, seguindo o ideal do meditador realizado, estamos sempre em busca de métodos, movimentos, tratamentos que possam nos acalmar e nos dizer que não há mais necessidade de correr e lutar para sobreviver.

Que tudo está já resolvido e há algum estado da mente, técnica de livro de autoajuda ou conexão religiosa que nos mostrará este estado pleno.

Muito positivo sem dúvida, buscar o aprimoramento pessoal e o transcender espiritual. Mas se nos pautássemos pelo bom senso e equilíbrio, não sentiríamos tanta falta do céu enquanto trilhamos nosso particular inferno.

Se ao invés de fortes momentos e papos reveladores, intenso sofrimento e arrebatamento, pecado e redenção, ousássemos sermos apenas suficientes para cada momento, poderia parecer até chato, mas seríamos mais longevos. Da mesma forma, seriam mais longevas nossas ideias. Mais estáveis nossos planos. Mais observante nossa passagem pelo tempo.

Esta atração pelo polarizado é como correr com baldes de água a apagar a fogueira que está sempre a se recriar.

É o modo pelo qual funciona muitas e muitas relações. Vira um passatempo para a mente ocupada em construir e destruir aquilo que ela mal teve tempo de conhecer.

Há grande vantagem em ser ameno. Não se abusando dos temperos, não se estraga a receita da vida.

Hélio Borges de Oliveira Passos

Pin It on Pinterest