IMPORTÂNCIA DE IMPOR LIMITES

O limite é necessário para o desenvolvimento da criança para que ela possa se situar no mundo de forma adequada. É o fator organizador da subjetividade do indivíduo. Será diante do “não” dos pais e da insistência da criança sobre o que ela deseja que resultarão no sentimento de frustração.

E será também por meio deste sentimento que a criança poderá conhecer a noção de limite e da realidade, tão importante para seu desenvolvimento, já que ela funciona sob o princípio do prazer. Se suas necessidades são atendidas imediatamente, a criança suportará mal a frustração. Assim, terá dificuldades em alcançar sua autonomia e passar para o princípio da realidade.

Isso pode ser observado no comportamento de determinadas crianças como sua dificuldade de suportar frustrações, falta de persistências, de respeito, falta de concentração, falta de figura de autoridade, desinteresse pelos estudos. Elas, frequentemente podem ser confundidas como sendo hiperativas.

DIREITOS E DEVERES
O contexto atual pode ser gerador de culpas e levar os pais a fazerem de tudo para compensarem seus filhos. Os padrões de comportamentos e os limites também podem se perder pelo caminho e, assim, surgir sujeitos com mais direitos que deveres, com mais liberdade que responsabilidades.

Os pais devem representar figuras de autoridade, tendo equilíbrio entre o excesso e a falta. Não é simplesmente dizer “não”, mas em limitar com amor, com convicção, com propriedade e com a certeza de que aquele “não” naquele momento é a melhor opção para o filho.
Faz-se necessário definir quais limites, quais regras se quer estabelecer. Qualquer limite deve ser claro, objetivo e direto. Ter firmeza e sem hesitação, pois a criança identifica quando um “não” pode ser um “talvez” ou um “sim” depois. Para isso, é de suma importância que neste processo aconteçam a harmonia e coesão entre os pais, pois se houver divergências entre eles, a criança perceberá e irá “jogar”, ora com um e ora com o outro, de acordo com sua conveniência.
Importante também é que não aconteça a desautorização entre os pais. Um precisa legitimar a atitude, autoridade do outro. Estabelecer limites não significa ser autoritário e privar a liberdade da criança, mas sim demonstrar autoridade. É através dos limites que os pais ensinam seus filhos a respeitarem os outros e a si mesmos, além de reconhecerem a diferença entre suas necessidades e seus desejos.

ANA SUELI LUCHETTI V. OLIVEIRA

Pin It on Pinterest